TRAVESSIAS INTERATIVAS - VOL. IX

1º SEMESTRE/2015

           

Autores, obras, discursos... Travessias que vão da literatura à análise do discurso.

 

            O volume IX da revista de letras Travessias Interativas comemora os quatro anos do surgimento da revista. O ecletismo aqui presente ratifica as muitas travessias a que a revista se propõe como identidade e ideologia. Já de início é necessário fazer um agradecimento especial aos nossos colaboradores, sejam eles participantes oficiais do conselho editorial ou pesquisadores externos requisitados para a emissão de pareceres. A revista tem o compromisso de trazer contribuições para a comunidade acadêmica com artigos de pesquisadores de diversas instituições do país, desde que originais e com visada crítica eficaz.

           Na primeira sessão do volume, há uma entrevista com o poeta Iacyr Anderson Freitas, que tem se destacado na cena literária brasileira a partir da década de 80, com uma produção já volumosa, premiada e reconhecida. Na entrevista, o poeta discorre sobre aspectos da lírica e da literatura de um modo geral, com ênfase nas relações poéticas que subjazem sua própria produção. A entrevista foi realizada por Alexandre de Melo Andrade (AFARP-UNIESP).

            Abrindo o volume, aparece o artigo "Além das fronteiras: a busca, a fuga e o entre-lugar na literatura moçambicana", da autoria de Nícolas Totti Leite (AFARP-UNIESP) e Mariana Aparecida de Carvalho (UFF). Em seguida, consta o artigo intitulado "Alguns elementos espaciais e temporais na teoria literária e na obra O Equivocrata, de Raul Fiker", de Matheus Marques Nunes (UNIP-Ribeirão Preto / UNESP-Araraquara). Já no próximo artigo, Alexandre de Melo Andrade (AFARP-UNIESP) analisa "A natureza diurna em Álvares de Azevedo". Em análise comparativa, o próximo artigo é da autoria de Leonardo Vicente Vivaldo (AFARP-UNIESP / UNESP-Araraquara) e intitula-se ""Ah! Um Corvo pousou em minha sorte!": breves aproximações entre Augusto dos Anjos e Edgar Allan Poe". Finalizando a sessão de artigos voltados para a análise e crítica literária, há o texto "Era uma vez... Histórias surdas: (re)definindo conceitos de Literatura Infantil", de José Marcos Rosendo de Souza (UERN) e Maria Lúcia Pessoa Sampaio (UERN).

            Os três artigos seguintes, inseridos no âmbito da linguística, tratam de análise do discurso e de fatores teóricos e práticos associados à oralidade e à prática do ensino da língua. O artigo "Os lugares da memória: estudo de anúncios publicitários oitocentistas a partir do ponto de vista da esfera pública burguesa, da antropologia e do discurso", de Alice Meira Inácio (AFARP-UNIESP), abre a tríade. Na sequência, há o artigo "Articulação teoria e prática e pressupostos linguísticos", de Valéria da Fonseca Castrequini (AFARP-UNIESP). E finalizando o volume, constamos o artigo "A influência dos fatores linguísticos na concordância ou não concordância verbal na fala adolescente", de Eliane Vitorino de Moura Oliveira (UEL).

            Desejamos leituras prazerosas, produtivas e reflexivas a todos os que se aventurarem por estas travessias.

           

 

O editor,

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade

 

 

(Editores)

 

 

Vol. 9, n. 1, 2015

............................................................................................................................

AUTOR CONVIDADO
ENTREVISTA COM IACYR ANDERSON FREITAS
Alexandre de Melo ANDRADE
 

Ler Entrevista - Download da Entrevista

............................................................................................................................
 

Além das fronteiras: a busca, a fuga e o entre-lugar na literatura moçambicana.
Beyond the borders: the pursuit, the escape and the in-between in the Mozambican literature.
Mariana Aparecida de CARVALHO

Nícolas Totti LEITE

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Ao abordarem sujeitos que têm as suas vidas devastadas pela guerra, os romances Terra sonâmbula, de Mia Couto, e O alegre canto da perdiz, de Paulina Chiziane, misturam-se à própria história de Moçambique. Temas como a perda, a busca e a fuga se entrelaçam nas narrativas por meio da representação de sujeitos desterritorializados, já que são obrigados, pelos conflitos, a ultrapassarem não só as fronteiras geográficas, mas as morais e psicológicas. O objetivo deste artigo é analisar como esses temas dialogam nas obras, bem como investigar a representação de sujeitos que se situam no entre-lugar. Para tanto, nos baseamos nos postulados de Homi K. Bhabha, estudioso em quem buscamos os conceitos de espaço intersticial e de entre-lugar, e de Franz Fanon, em quem encontramos formulações acerca da alienação/assimilação. No presente trabalho, apropriamo-nos de conceitos filosóficos que há muito vem sendo empregados em outros campos do saber, como antropologia e geografia, e ora empregamos nos estudos literários, em diálogo com as formulações de Edward Said, em "Reflexões sobre o exílio"..

PALAVRAS-CHAVE: entre-lugar; literatura moçambicana; fronteiras.  

............................................................................................................................

Alguns elementos espaciais e temporais na teoria literária e na obra O Equivocrata, de Raul fiker.
Some spatial and temporal elements in literary theory and in O Equivocrata, by Raul Fiker.
Matheus Marques NUNES
 

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: O artigo aborda as questões do espaço e do tempo na obra O Equivocrata (uma reta de vista), de Raul Fiker. São duas questões importantes para a teoria literária e que também aparecem como constituintes fundamentais na perspicaz reflexão construída pelo filósofo Fiker na referida obra. Trata-se, assim, da análise de certas técnicas da narrativa usadas na obra e, por outro lado, da relação temporal e espacial estabelecida pelo autor, numa perspectiva que buscará um viés mais literário.

PALAVRAS-CHAVE: Equivocrata, poder, espaço e literatura.

............................................................................................................................

A Natureza Diurna em Álvares de Azevedo.
Nature in Daylight in Álvares de Azevedo.
Alexandre de Melo ANDRADE
 

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: O artigo pretende fazer uma abordagem da natureza diurna no poeta romântico Álvares de Azevedo, relacionando-a a questões caras ao universo romântico. Para isso, faremos a leitura de alguns poemas que compõem a primeira e a terceira parte da obra poética Lira dos vinte anos, dialogando com teorias do imaginário e observando o universo que funda o próprio poeta a partir das imagens diurnas.

PALAVRAS-CHAVE: Internet; busca; Álvares de Azevedo; poesia; natureza diurna.

............................................................................................................................
"Ah! Um Corvo pousou em minha sorte!": breves aproximações entre Augusto dos Anjos e Edgar Allan Poe.
"Ah! A Raven landed on my luck!": brief similarities between Augusto dos Anjos and Edgar Allan Poe.

Leonardo Vicente VIVALDO

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Partindo de uma entrevista de Augusto dos Anjos (1884 – 1914) para Licínio dos Santos, em que o poeta paraibano afirma sua admiração por "Shakespeare e Edgar Poe", este trabalho tem por objetivo rastrear, brevemente, a visão desses escritores no poeta paraibano – em especial a relação com Edgar Allan Poe (1808 – 1849), no tocante a alguns temas e construções realçadas em seu clássico ensaio "A Filosofia da Composição". O próprio ato criador, imagético e textual, que emana da poesia de Augusto dos Anjos, mais até mesmo do que podemos supor através de suas crônicas e cartas, reafirma a aproximação com Poe e o fado terrível da vida humana – e o que daí advém da sanha insaciável da Morte (destino último de todos nós)..

PALAVRAS-CHAVE: Interpretação, Morte, Filosofia da Composição, Edgar Allan Poe, Augusto dos Anjos.

............................................................................................................................

Era uma vez... Histórias Surdas: (re)definindo conceitos de Literatura Infantil.
Once upon a time... Deaf Stories: (re)defining concepts of Children's Literature
José Marcos Rosendo de SOUZA

Maria Lúcia Pessoa SAMPAIO

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: A literatura enquanto produção cultural da sociedade tem se transformado no decorrer da história humana, adequando-se aos mais diversos contextos e peculiaridades dos indivíduos pertencentes a grupos sociais, como exemplo, os Surdos. Buscamos definir o conceito de Literatura Surda Infantil, pautando-nos, principalmente, nos postulados de Antônio Candido, para alcançar esse objetivo. A consecução desse objetivo pode contribuir para consolidar o reconhecimento da Literatura de povos Surdos.

PALAVRAS-CHAVE: Histórias Surdas. Literatura Surda. Literatura Infantil.

............................................................................................................................

Os lugares da memória: estudo de anúncios publicitários oitocentistas a partir do ponto de vista da esfera pública burguesa, da antropologia e do discurso.
The spaces of memory: study of nineteenth-century advertisements in view of the bourgeois public sphere, anthropology and discours
Alice Meira INÁCIO

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Neste artigo pretendemos apresentar algumas reflexões a respeito da memória sociodiscursiva do gênero publicitário a partir de conceitos de memória apresentados por Pierre Nora (1981). Para o autor, a memória pendura-se em lugares assim como a história perdura em acontecimentos, ou seja, os lugares "nascem e vivem do sentimento [de] que não há memória espontânea". Desse modo, a fim de investigarmos a memória do anúncio publicitário, delimitamos três possíveis lugares onde se alicerçam o gênero publicitário, na esfera pública burguesa, segundo pressupostos teóricos apresentados por Habermas (1984); na perspectiva antropológica apresentada por Jack Goody (1987); e na perspectiva discursiva apresentada por Bakhtin (2000). A partir deste estudo, observaremos qual contexto e qual situação de comunicação motivou o surgimento do gênero e quais fatores são responsáveis por manter ativa sua memória e sua funcionalidade sociocomunicativa.

PALAVRAS-CHAVE: memória, anúncio publicitário, esfera pública burguesa, antropologia, discurso.
 

............................................................................................................................

Articulação teoria e prática e pressupostos linguísticos.
Join theory and practice and assumptions language
Valéria da Fonseca CASTREQUINI

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: O artigo pretende fazer uma abordagem acerca da teoria e da prática docente, com ênfase no ensino de língua. Para tanto, são feitas considerações de âmbito mais genérico, intentando a compreensão acerca da teoria, da metafísica, da dialética e das formas de articulação entre teoria e prática, para daí alcançarmos alguns conceitos relacionados à linguística.

PALAVRAS-CHAVE: teoria; prática; ensino; linguística.

............................................................................................................................

Fala adolescente: a influência dos fatores linguísticos na concordância verbal.
Adolescent's speech: the influence of linguistic factors in agreemente verbal
Eliane Vitorino de Moura Oliveira

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: O adolescente, em uma etapa de vida marcada por processos de várias ordens, utiliza a língua como um meio de se impor, fixar-se como integrante de um determinado grupo. Ou seja, utilizar a língua de uma forma ou de outra se torna um símbolo por meio do qual apresenta sua imagem ou seu valor social diante dos outros, com o intuito de torná-lo igual aos seus. Assim sendo, sua expressão linguística mostra-se um campo profícuo de pesquisa, já que ele terá que adequar sua expressão à variedade utilizada pelo grupo em que se insere ou quer se inserir. Esta especificidade nos levou a buscar uma analise mais aprofundada da forma de expressão adolescente, por meio da investigação do uso da língua, em especial a Concordância Verbal (CV), analisando que peso têm os fatores linguísticos na configuração da fala adolescente. Desta forma, com base nos pressupostos da Sociolinguística, utilizando sua vertente quantitativa, tendo como base, em especial, estudos de Scherre (1988, 1998, 2008), apresentamos os resultados desta pesquisa, com o intuito de que estes venham a colaborar na valorização de estudos direcionados à variação linguística no meio escolar. .

PALAVRAS-CHAVE: Adolescência; Fatores linguísticos; Variação linguística.


>