TRAVESSIAS INTERATIVAS – VOLUME I

1º SEMESTRE/2011

(Editorial)

É com muita satisfação que apresentamos o primeiro volume das Travessias Interativas. Resultado de um esforço de nossos editores, a revista surge para enriquecer a comunidade acadêmica com propostas, pesquisas, diálogos e interações. Este número, que sinaliza uma sequência ininterrupta de muitas outras edições, possui tema livre. Todos os artigos são instigantes e apresentam desenvoltura argumentativa e coesa, tendo em comum o olhar criterioso sobre o tema pertinente a cada um deles.

O primeiro artigo, intitulado “Álvares de Azevedo na ficção sobrenatural brasileira”, da autoria de Alexandre de Melo Andrade, aponta para uma leitura de duas obras do escritor romântico brasileiro Álvares de Azevedo: Macário e Noite na taverna. Os apontamentos levam a uma discussão acerca da herança gótica e fantástica recebida pelo autor.

O segundo artigo, intitulado “Willian Wilson em O homem duplicado”, de Elaine Christina Motta, traz, comparativamente, aproximações e dissonâncias entre as obras Willian Wilson, de Edgar Allan Poe, e O homem duplicado, de José Saramago. Amparada por teorias acerca da paródia e do duplo, a autora faz uma investigação narrativa que desvela, ainda, modos de narrar e perspectivas modernas e pós-modernas da ficção.

Na sequencia, temos o artigo “Riso, Linguagem e Política nas manifestações dadaístas”, de Matheus Marques Nunes. Partindo do pressuposto de que o Dadaísmo corresponde a uma “luta contra as convenções” e um “riso contra os valores burgueses” – para usar palavras do próprio texto –, o autor levanta uma discussão que direciona o Dadaísmo a um universo onde a interrogação e o niilismo sejam os pilares de sustentação.

No artigo seguinte – “Para uma análise dialógica das comunidades virtuais” –, Silas Gutierrez provoca, em perspectiva bakhtiniana, uma leitura de espaços virtuais (mais especificamente sites de relacionamento) dispostos na mídia eletrônica instigadores de inter-relações, compreendendo tanto os aspectos da linguagem interativa quanto os associados à plasticidade do veículo.

Encerrando este primeiro volume, aparece o trabalho de Lílian Regina Peroni Grecco, resultado de seu trabalho de iniciação científica (Letras – UNIESP/Ribeirão Preto). Seu artigo, “Possíveis leituras do Amor em Folhas Caídas, de Almeida Garrett”, investiga aspectos temáticos e estilísticos que fazem de Almeida Garrett um escritor – embora de linhagem romântica – com estreito vínculo a uma poética classicizante.

Desejamos que estes estudos sejam o princípio de muitas e enriquecedoras travessias!

 

Prof. Dr. Alexandre de Melo Andrade.

 

Vol. 1, n. 1, 2011

............................................................................................................................

 

ÁLVARES DE AZEVEDO NA FICÇÃO SOBRENATURAL BRASILEIRA
ÁLVARES DE AZEVEDO IN BRAZILIAN SUPERNATURAL FICTION
Alexandre de Melo ANDRADE

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Álvares de Azevedo, considerado um dos grandes escritores românticos brasileiros, apresentou-nos uma prosa com tendências próximas ao gótico e ao fantástico. Macário e Noite na taverna possuem traços do fantástico e alguns aspectos grotescos, noturnos e mórbidos herdados do gótico. A proposta do artigo é apresentar alguns destes pressupostos aparentes nas duas obras.

PALAVRAS-CHAVE: Álvares de Azevedo; gótico; fantástico.

............................................................................................................................


WILLIAM WILSON EM O HOMEM DUPLICADO
WILLIAM WILSON IN SARAMAGO’S THE DOUBLE
Elaine Christina MOTA

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Este artigo tem por objetivo principal analisar comparativamente o conto poeano William Wilson (1843) e o romance saramaguiano O homem duplicado (2002), desvelando a paródia de Saramago em relação à narrativa de Poe, especialmente no que concerne aos mitos e à função do narrador.

PALAVRAS-CHAVE: William Wilson; O homem duplicado; paródia; mitos; narrador.

............................................................................................................................
 

RISO, LINGUAGEM E POLÍTICA NAS MANIFESTAÇÕES DADAÍSTAS
LAUGHTER, LANGUAGE AND POLITICS IN DADA MANIFESTATIONS
Matheus Marques NUNES

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Trata-se de abordar as manifestações dadaístas como uma forma de negação da arte. Perceber o movimento dadaísta como sabotagem da arte mercadoria e também como questionamento do uso da estética como símbolo de distinção social. Compreender suas intervenções como uma crítica ao mercado cultural e não como mais uma renovação estética. Analisar, sobretudo, como Dada trabalhou o riso como destruidor de linguagens e como arma para a formação do seu niilismo iconoclasta. Perceber as implicações de suas atitudes para uma análise sociológica das contradições das sociedades européias do início do século XX.

PALAVRAS-CHAVE: dadaístas, riso, linguagem, arte e indústria cultural. 

............................................................................................................................
 

Para uma Análise Dialógica das Comunidades Virtuais
For a dialogical analysis of virtual communities
Silas Gutierrez

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Neste artigo, abordaremos as comunidades virtuais na perspectiva bakhtiniana. Problematizaremos a questão da constituição do sujeito-virtual e sua representatividade no ciberespaço, assim como a análise discursiva da plasticidade textual eletrônica.

PALAVRAS-CHAVE: Comunidades Virtuais, Bakhtin, Sujeito.

............................................................................................................................
 

Iniciação Científica

 

POSSÍVEIS LEITURAS DO AMOR EM FOLHAS CAÍDAS, DE ALMEIDA GARRETT
POSSIBLE LOVE’S READING IN FOLHAS CAÍDAS, BY ALMEIDA GARRETT
Lilian Regina Peroni GRECCO

Ler Artigo Completo - Download do Artigo Completo

RESUMO: Folhas Caídas, considerada a obra de mais perfeito e completo caráter romântico garretiano, traz um salto em relação à poesia árcade; a agilidade e simplificação na hora de compor os versos são típicos traços românticos, porém o amor tratado pelo autor se mostra em uma vivência experimentada, algo vivido e transposto aos versos, diferente do amor idealizado e sentido dos românticos. A diferenciação entre um "eu" que se mostra e um que aparenta mostrar-se são os pontos principais do trato amoroso que será abordado nas Folhas Caídas. 

PALAVRAS CHAVE: Almeida Garrett, poesia, Romantismo, amor, racionalismo clássico.